onselectstart='return false'

Translate

quarta-feira, 19 de junho de 2013

BRASIL, VERÁS QUE O FILHO TEU NÃO FOGE À LUTA



HÁ QUEM DIGA QUE FUGIMOS DA BRIGA...



VINTE CENTAVOS É O TROCO DA BALA QUE NOS EMPURRA A GARGANTA.
E QUE AGORA IREMOS REIVINDICAR NÃO A BALA QUE NOS ATORDOOU O TROCO.
MAS A PEC 37 E SEU CALIBRE DISPARANDO CONTRA NOSSA LIBERDADE.
FUDIDA LIBERDADE QUE ADQUIRIMOS AO SANGUE DE PARIDEIRAS ELÉTRICAS.
PARECENDO SER RIDÍCULO AOS OLHARES DOS INTERESSES DOS CORRUPTOS DITATORIAIS.


BRASIL...
AGORA, VERÁS QUE O FILHO TEU NÃO FOGE À LUTA.
NÃO FOGE POR VINTE CENTAVOS.
NÃO FOGE PELA COPA.
SENDO A NOSSA VAIA.
UM GRITO DE GUERRA.


GUERRA?
CONTRA O QUÊ EXATAMENTE?
CONTRA TUDO O QUE FINGIMOS ESTAR CERTO NESSAS DÉCADAS.
E QUE O GOVERNO POUCO SE FODE PRA NOSSA SAÚDE.
SENDO O CEMITÉRIO DE ANTIGAMENTE.
O SUS DE HOJE.


BRASIL.
NEM TEME, QUEM TE ADORA, A PRÓPRIA MORTE.
TERRA DOURADA.
QUE ENTRE OUTRAS MIL, ÉS TU BRASIL.
A MAIS FERRADA.
QUE OS FILHOS DESTE SOLO ERGAM GRITOS CONTRA TUDO O QUE SE FEZ FINGIR.
NESSA PÁTRIA AMADA?


BRASIL.
VERÁS QUE O FILHO TEU VOLTOU À LUTA.
E QUE AGORA.
OS VINTE CENTAVOS.
A PORRA DESSES VINTE CENTAVOS.
LEVANTOU UM GIGANTE ADORMECIDO.
E QUE AGORA BRASIL.


E QUE AGORA...


IREMOS BOTAR NOSSO BLOCO NA RUA.
MAS COM NOSSA FORÇA.
COM A GARRA DE QUEM FOI PRA RUA NO AI-5.
COM A GARRA DE QUEM OCUPOU A UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA NOS ANOS DE CHUMBO.
E QUE VLADO NÃO MORREU EM VÃO.
PROTESTANDO NOVAMENTE.
TALVEZ NÃO CONTRA OS MILITARES.
MAS CONTRA A CAÇA DE NOSSA LIBERDADE.
E CONTRA O SANGUE MANCHANDO PAREDES DE HOSPITAIS CADA VEZ MAIS LOTADOS.


PROTESTAMOS...
PELOS DIREITOS DAS MULHERES.
CONTRA O DESCASO DO GOVERNO. 
CONTRA A FALTA DA EDUCAÇÃO.
E CONTRA O DINHEIRO DESVIADO NO PAGAMENTO DE PUTAS DE LUXO PARA TREPAR COM SENHORES POLÍTICOS DO CONGRESSO.


E AGORA...


PRA FINALIZAR.
UNS...20 CENTAVOS PARA ACORDAR DE VEZ.
TODA POPULAÇÃO.


E BRASIL...
VERÁS QUE O FILHO TEU NÃO FUGIRÁ DA LUTA DESSA VEZ..
POIS ENTRE OUTRAS MIL.
ÉS TU BRASIL
UMA DAS MAIS FERRADAS.
E QUE OS FILHOS DESTE SOLO.
PARTIRAM PRA CIMA.
E SE FOR PRECISO.
PROTESTAR AINDA MAIS.
SEJA NA FAVELA, NO SENADO, NO CERRADO...
E AONDE FOR.


SENDO ASSIM, IREMOS COLOCAR.
NOSSO BLOCO NA RUA
NÃO DE CARNAVAL.
MAS NOS GRITOS VERDADEIROS DOS JOVENS DE ONTEM.
QUE VOLTARAM PARA NOS RELEMBRAR.
O QUÃO DIFÍCIL FOI VIVER NAQUELES TEMPOS.
E O QUÃO CEGO FICAMOS NESTES ANOS TODOS.
NESSA PÁTRIA AMADA.
TÃO ACLAMADA.
CHAMADA  BRASIL

sábado, 15 de junho de 2013

CARALHO, QUAL O MOTIVO DO PROTESTO MESMO?


Argumento impactante e de cegar os olhos
Foto: (Vitor R. Caivano/AP)


É lindo ver esse país tropical.
Abençoado por Deus.
E bonito por natureza.
Ser totalmente errôneo.
Putas escatológicas ao verdadeiro sistema.
Boquete no saco escrotal da política.
E que venham os protestos contra vinte centavos.
E que venha o coquetel molotov fazer parte dos argumentos.
Sendo que ninguém foi santo na história.






Disseram que usar palavrão não é argumento.

Foda-se se pensam assim.

Para muitos o sangue já é tese de conclusão de doutorado.






A polícia agiu de forma desnecessária.
Apelando a tudo.
Iniciando o inferno.
Onde o protesto iniciado não era mais o preço dos ônibus.
Mas a violência de ambos os lados.
E que venham manifestantes e policiais usando violência para se usar a violência.
Pois protesto é protesto.
Polícia, é bala de borracha.
E o cassetete é um castigo nas costas dos jovens.
Costas, mão, rosto, olho e genital.
E jovens são vistos como loucos marginais, drogados e embebecidos.



Protestem contra tudo.
Contra corruptos.
Contra esses hospitais de qualidade merda.
E não deixem os políticos impunes.
E todo mundo brigando feito animal louco estuprado.



Protestem com gritos.
Tinta no rosto.
Milhares de pessoas na rua.
E que deixe de ser apenas na Internet os protestos.



Pessoas são falsas ao idealizarem progresso.
Quero ver colocarem o rosto nas ruas para se fazer protesto.
Pois eu quero botar meu bloco na rua.
Ainda pretendo botar a fudida inteligência na rua.
Protestar sem o molotov incluso.
E não quebrar a porra do vidro das lojas ou incendiar latas de lixo.
Pois spray de pimenta irão jogar em seus olhos cegos de violência e raiva.
Que não adiantarão para se fazer baixar os vinte e fudidos centavos, caralho da porra!



Somos humanos.
Gostamos da violência.
O protesto é argumento, é exercício da política e de nossa democracia.
A violência é grotesca, cor de sangue.
Muitos querem o "Viva la Revolución".
Mas para que?
Para se ter sangue.



Revolução a respeito de que?
Derrubar somente os vinte centavos?
E os policiais iriam aceitar a violência como ato normal dos jovens?
E os jovens iriam aceitar pimenta estuprando seus olhos?
Derrubar a polícia com coquetel molotov para poder se fazer superior?
Para que esse caralho?
Pois enquanto não houver sangue espirrando no rosto.
Enquanto não houver gás lacrimogênio nas crianças.
Enquanto não houver bala de borracha em olhos de repórteres.
Vinte centavos não significa nada.



Então...
Viva la Revolución.
Viva la vida...
Um viva ao sangue imposto pelo ser.
Quem sabe um dia lutaremos racionalmente pelas mudanças.
E que venha a chuva limpar essa merda que cai sobre esse país tropical.
Abençoado por Deus.
E bonito por natureza.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

ALÔ, MINAS GERAIS










Diga minha querida.
Me diga.
Como está o tempo.
Como está sua paixão.
Ai em Minas Gerais.



Fazer o quê?
Se a saudade é tamanha.
Se sua presença é tão distante.
E sua paixão é uma certeza latente.



Em qual leitura está agora?
Qual amor está lhe preenchendo a alma?
Ai em Minas Gerais.



Sabe que meu amor por você já está entregue.
Com endereço, rua, cidade, sonetos e versos.
E tento fugir dessa realidade tão distante.
De que estamos lado a lado.
Nos dias que se fingem passar de noite.
Ou nas leituras que se fizeram sentir em prosas do inteiro.



Como está seu olhar?
Ainda deslumbrante como o crepúsculo do entardecer?
Espero que sim.
Mando lembranças aqui deste lugar.
Lugar do qual ficara alguns dias.
Mas isso nos remete a lembranças.
Das quais nos cansamos de relembrar.
E sonhar o que poderia ter sido.



Guardei como recordação.
Incontáveis fotos que criei de memória.
Ostentada por sua fala.
Valeu cada momento.
A que se deu nosso encontro.
Nascido entre um acaso sincero.
Nascido por meio de um amor não descoberto.
Assim nasceu a poesia por sua prosa mais solene.



Gostaria de saber o que me aguarda no futuro.
Sendo que seu amor, gostaria de tê-lo por perto.
Mas não sei como está o tempo por ai.
E espero que esteja amando como sempre.
Ai em Minas Gerais.



Sonhei com você essas noites.
Estava ao longe, no aeroporto, tão distante.
E te vi em versos sendo escritos em sua nuca.
Sozinho, não te encontrei a tempo.
Seu voo foi um minuto mais cedo.
E tentei te encontrar um minuto mais tarde.



Poesia.
Não consegui escrever mais nada há tempos.
Nenhum verso.
Nenhum som de violino.
Nenhum solo de guitarra.



Procurei em todos os recantos.
Desde o bairro mais próximo até algum olhar por engano.
E não a achei.
Pensei que fosse me largar.
Nesses versos em linhas gerais.



Mas, não sei.
Tenho saudades, sabe?
E o que poderia ter sido?
O que daria certo.
O que daria errado.
E cá estamos distantes.
E eu sonhando acordado em papel singelo.


Sei lá se a poesia continua tendo o mesmo grau de efeito.
Não sei se o que sinto por você é aquilo que chamam de...
"Forte e Verdadeiro".
Pois não ligo para o que todos dizem.
Pois sentimento é sincero.



Mas seja como for minha querida.
Seja como for.
Que não a perderei como a estrela de Portugal.
Que nunca te esquecerei.
E espero que esse escrito.
Seja lido a tempo.
Pois é necessário se ter o agora.
Decorando esses versos.
E não conseguindo te esquecer.



Esperar seria doloroso demais.
Não sei se ainda gosta de poesias.
Não sei se mudou tanto com esse meio tempo.
Mas continuo mesmo assim.
A te querer ainda mais.
Mais do que curtos 500 dias.
Mesmo eu estando em uma cidade com ar interiorano.
E você sempre brilhando.
Seja em Letras ou prosas.
Seja Vermelho Amargo.
Ai, em Minas Gerais.