onselectstart='return false'

Translate

sexta-feira, 8 de março de 2013

CAFÉ DERRAMADO




Misture o vinil com café mesclado.
Revire-se nos tempos contemporâneos.
E o céu nublado.
No facilitar das ocorrências de salutares ângulos.
Sentimentos avulsos.
Pensamentos à escolha.
E um café amargo.


Misture fotografia com amor.
Bata tudo no liquidificador.
E soluce expressões passadas;
Pois os vocábulos naturais soam antigos.
Suas cartas passadas ressurgem em minhas lágrimas.
No decorrer desses próximos dias...sacio.


Derramo café sob a folha avulsa.
E o aroma se esvai em cada letra.
Em cada recanto de arte exaurido moderna.
Nas condições de um poeta ofegante.
Por esperar esta folha secar.
Sei que tenho de deixar manchar.
Para se parecer mais antigo.


E misture o real com o sonífero.
Pornografia em romance.
E que nem tudo acabe em plateia.
Pois o café acabou de secar.
Sua carta...se que nunca irá chegar.
Nesse romance escrito em poesia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário