onselectstart='return false'

Translate

sábado, 16 de fevereiro de 2013

CORTE DA ALMA




Solo empobrecido pela falta de exímios nutrientes.
É dor da terra soerguida em solos recalcados e areia betuminosa.
Semelhança a sua presença e seus fatores geográficos.
Coloração escura frente às rochas de sentidos magmáticas.
É sentimento de tardes de nostalgia proeminentes.
É o doer da salivação pela espera de uma gota de água durantes as secas defasadas.

A pele sem apelos de toque ou sentimentos.
Significa agonia ou desespero do rir defasado.
Alegria da infâmia presente no sorriso traiçoeiro.
É marca registrada dos subterfúgios de palavras sãs, de cunhos tradicionais.

O gramado esverdeado da próxima mansão,
Serviriam de alimentação para seiscentos e sessenta e seis reis.
Serviria como degustação de carnes ao ponto do sangue fresco.
Do agudo sofredor.
Chamado eterno tempo.

A linguagem da prostituição no esquema da porta da esquina.
É linguagem utilizada por povos antigos.
De origens macedônicas.
Ou mesmo de outros sistemas.

Sabe-se lá composição química das coisas.
O cálculo articulista, articulado ou renal.
É sentimento de pureza impura.
Sentimento de raças superioras, arianas e imundas.
Para se opuser ao saber dos cortes profundos na sua boca até a sua alma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário