onselectstart='return false'

Translate

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Versos Tarantinescos

O sangue frio escorre pelas veias da violência.
Onde o rastro de Deus colocou-se em alguma consequência.
Desse sangue parecer tão calmo.
Sem saber que sua dose extrema respingada no carpete novo é uma ofensa.
Pois que respingasse ao redor da sala...
Mas não na porra do novo carpete.

Visualizações anteriores das décadas de violências.
Onde a juventude conseguia algo pelo o que lutar, com reticências.
Pelos organismos crescentes das mudanças em dia.
Sendo ela talvez compilada de ideias originais.
Para serem relançadas de maneiras recicladas.

E que a bala do revólver atravesse o crânio feito pluma.
Sendo que o sangue ao respingar levemente sobre a tela.
São demonstrações de sentimentos animalescos ou imundos.
Onde Deus criou a violência no homem.
O homem e suas inconsequências.
Quando a risada não surtiu efeito.
E a piada ressurgindo...











...entre respingos de sangue.


 


Nenhum comentário:

Postar um comentário