onselectstart='return false'

Translate

sábado, 19 de janeiro de 2013

Nono Círculo do Inferno


VÁ EM PAZ.....


"Deixai toda esperança, ò vós que entrais!"


E agora?
Vai rir descaradamente?
Então ria.
Ria da falsa vida.
Ria da falsa infância.
Pois a sua devia ser de alguma forma “querida”.
Querida infernal de sua mente doentia.
Intelectualizada. Porém, vazia.
Morrer de uma vez?
Por que não sujas de lama sua boca de palavras infames?
Quanta violência praticou.
Talvez nem matasse ou furtasse.
Mas fez a pessoa sangrar por dentro.
Uma hemorragia sentimental.
Que adentrou a carne viva da memória.
Que nos fez sentir inúteis pela sua vitória.
Agora começo a rir no seu enterro.
Quando a doença lhe pegou pelos braços.
Vomitando em seus órgãos.
E acariciando-lhe o peito.
Lhe disse:
Bem vindo ao nono circulo do inferno.

Bem vindo passageiro.
Seja bem vindo mal feitor.
Na alma gritante de sua carne podre.
De seu olhar irritante.
Escatológico.
Errante.
Soa como ruminantes.
Soa como os 7 demônios no corpo do insano.
Na insensatez de cometer crimes.
Crimes contra a espécie psicológica.
Cujos padrões não foram concretizados no mundo “perfeito”.
Talvez por falta de provas.
Ou pela falta de adeus.


Mas não choro em sua partida.
A gargalhada faz parte desse show de diversão.
Pois enquanto vivo em palavras.
Você morre em minha escrita.
No nono círculo do inferno tu adentras.
Para que o fogo queime tua carne fresca.
Carne trêmula.
Temor de todos.
E temor de inocentes.
Faz dos seus gritos vitória para a humanidade.
E agonia no seu destino.
Espero que estejas bem onde estás.
Quase rezei um Pai Nosso e uma Ave Maria em seu nome.
Mas você fez questão de fazer a oração antes.
E a graça terminou por aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário