onselectstart='return false'

Translate

sábado, 12 de janeiro de 2013

Fluxo de Escape



Sincronizações falhas do tentar organizacional.
Ao colocar meus pensamentos em rascunhos do emocional.
Para a ortografia não se estremecer nas bases sutis dos sentimentos.
Colocando o psicológico como uma criança mimada.
É escapatória entre Raskólnikov e certa risada.
Para me coroar um escravo perante os argumentos.

Rogarei mil preces para meu senhor me iluminar.
E se não bastar um Deus.
Que bastem 33 milhões.
Algum Vishinu, Krishna e outras canções.
E se for preciso certa ciência dos ateus.
Ou um remédio para me acalmar.

Fluxo.
Um fluxo imigratório.
Quando a solidão vem.
Me encho de certezas.
De pessoas que mudam constantemente.
Para o vazio retomar ao corpo.

Fluxo através do amor.
Que muitos fazem dele como senhor de sua escravidão de paixões.
Os fazendo chorar pelo platonismo.
Esquecendo o real.
E afogar em alguma situação.

Tentei a música.
Mas faltou-me a letra necessária.
Os acordes divinos.
E a melodia combinatória.

E que venham as noites de memórias.
Me julgam por vários atos.
Contorcendo de dor na alma.
O suor respingando frio na alma.
E o efeito tranquilizador do cansaço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário